Skip to content

Grande resgate: textos de dramaturgia do circo-teatro

Sula Mavrudis


Acabo de receber pelos Correios, de surpresa, um grande pacote com um fantástico presente: a coleção “36 peças: textos de dramaturgia [do] circo-teatro (drama e comédia)”, enviado pela amiga Sula Kyriacos Mavrudis, pesquisadora e coordenadora desse projeto. Trata-se de uma coleção composta por 36 livros e um CD com os textos de 36 peças da dramaturgia do circo brasileiro, até então inéditos. Veio, também, um exemplar da “Encircopedia: Dicionário Crítico Ilustrado do Circo no Brasil”, de sua autoria; um volumoso livro (420 páginas) em formato grande, em papel couché, que, certamente, deve se firmar como a mais importante obra de referência do circo no Brasil.

Filha de gregos, mas brasileira das Minas Gerais, Sula, 53 anos, durante duas décadas percorreu o Brasil buscando pessoas e informações na tentativa de recuperar os textos dessas peças teatrais circenses. Diretora da Área de Circo do Sindicado dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões de Minas Gerais (Sated-MG) e presidente da Rede de Apoio ao Circo, além de atriz, coreógrafa, diretora teatral e escritora, ela tem buscado promover a valorização cultural e profissional das atividades do circo no país e também o apoio estatal, através da legislação e da implementação de políticas culturais.
Mantenho contato com ela desde 2009, despois que escrevi um texto sobre seu trabalho neste meu blog, através do qual fiz “ponte” para alguns contatos para sua pesquisa. Trocamos, ao longo desse tempo, alguns e-mails tratando de circo-teatro, pesquisas e publicações. Até mesmo, já neste ano, da possibilidade de uma oficina para crianças — que ela costuma fazer em eventos literários — no Salão do Livro de Imperatriz (Salimp).
Conferindo um a um os 36 livros, verifiquei que diversas dessas peças assisti, ainda adolescente, em circos que passaram por Imperatriz. Não resisti e folheei logo a “Encircopledia”, onde li alguns textos e contemplei algumas fotografias de conhecidas lonas avistadas há quase quatro décadas, além de alguns personagens também já vistos.
Não tenho qualquer dúvida que, com esse resgate, Sula enriqueceu ainda mais a cultura brasileira e deu perenização à criação teatral nascida e encenada nos circos no Brasil.

Não poderia deixar de creditar os méritos a quem financia essa coleção, que vem enfeixada num magnífico estojo: Cena Minas; Instituto Cultural Sérgio Magnani; Copasa; Governo de Minas; Ministério da Cultura.

2 Comments