Skip to content

Chiquinho França denuncia: Prefeitura deu calote no Projeto de Neném Bragança

No final da tarde de hoje, o músico Chiquinho França divulgou através das redes sociais, uma “Nota de Agradecimento” em que faz revelações surprendentes sobre o calote que a Prefeitura de Imperatriz teria dado ao projeto “Som do Mará / Neném Bragança”, para a produção do álbum CD/DVD em prol do artista imperatrizense falecido recentemente de câncer. Segundo o músico, o prefeito Sebastião Madeira teria aprovado pessoalmente o patrocínio do Projeto, através da Fundação Cultural de Imperatriz, ainda em 2013, mas não honrou o compromisso, o que provocou atraso na conclusão da produção da obra. Diante disso, o próprio Chiquinho França teria tomado um empréstimo pessoal para o custeio da produção, para que Bragança pudesse ver o trabalho ainda em vida. Até o momento, a Prefeitura não pagou a dívida empenhada.
somdomarah
É um relato chocante sobre o descaso do prefeito de Imperatriz para com a campanha em favor de Neném Bragança — o artista que mais divulgou o nome de Imperatriz Brasil afora —, que se encontrava em fase terminal de câncer e não teve o apoio do Município que tanto defendeu.
Abaixo transcrevo, na íntegra, a longa “Nota”/desabafo de Chiquinho França:

“NOTA DE AGRADECIMENTO
“A minha sincera gratidão a todos os amigos, compositores, músicos e fãs pela parceria, carinho e apoio dispensado ao projeto Som do Mará / Neném Bragança. Agradeço a toda a imprensa e aos patrocinadores: Governo do Maranhão e Prefeitura Municipal de Imperatriz… Aliás, a Prefeitura de Imperatriz não… …Não, ela não ajudou, ela atrapalhou!!!
“Quero informar que, até o momento, a Prefeitura de Imperatriz não repassou o recurso referente à sua cota de patrocínio ao projeto “Som do Mará / Neném Bragança”, firmado em setembro de 2013, causando um grande constrangimento e atraso na produção. Por esse descaso, o nosso artista Neném Bragança nem ao menos teve o prazer de gozar as emoções de ver e curtir seu CD/DVD, nem mesmo participar do show de lançamento do seu próprio projeto, pois já estava debilitado.
“Esperamos um ano e quatro meses, fazendo vários contatos e várias tentativas de acordo, porém, sem sucesso!!
“A Prefeitura dificultou exigindo sempre novas e diversas documentações, as quais, todas foram apresentadas pela nossa produção. O projeto foi originalmente apresentado e aprovado pela Fundação Cultural através do prefeito Sebastião Madeira, que tratou e acordou comigo em reunião no Brisamar Hotel, em São Luís, com a presença do nosso amigo Nan Souza. Levou o projeto em mãos para o presidente da Fundação Cultural, Lucena Filho.
“A Fundação Cultural, por sua vez, não conseguiu repassar a verba para o projeto, até que, somente em julho de 2014, o Sr. Cândido Madeira tomou conhecimento do atraso do projeto e em reunião comigo demonstrou ficar envergonhado e furioso com o descaso da Fundação Cultural e Prefeitura em relação aos nossos artistas. Ali ele referia-se não somente ao Neném Bragança, mas a um elenco de artistas que estavam apoiando o projeto: eu, Erasmo Dibell, Betto Pereira, Zeca Baleiro, Carlinhos Veloz, Nando Cruz, Zeca Tocantins, César Nascimento, Zé Américo, Xavier Santos, Lucevilson e Wilson Zara com sua empresa ZARPA PRODUÇÕES, proponente do projeto, por sinal toda documentada.
“O Sr. Cândido Madeira se comprometeu a resolver tudo em cinco dias!! Feliz com o que vi e ouvi, saí de lá crente que tinha encontrado finalmente a pessoa certa para resolver o processo. Atravessei o rio Tocantins e fui comemorar feliz na Bela Vista, casa do Zeca Tocantins… Foi muito bom!! Só que o Sr. Cândido Madeira misteriosamente também fez silêncio, não nos recebeu mais, nem atendeu os vários telefonemas, uma atitude tal qual a do presidente da Fundação Cultural, Lucena Filho. O Projeto Som do Mará Neném Bragança teve seu lançamento realizado dia 16 de dezembro de 2014, depois de termos recorrido a um empréstimo no valor da cota de patrocínio da Prefeitura. Porém, não conseguimos voo pro Neném de São Paulo/Imperatriz; ele só chegou no dia seguinte ao lançamento.
“Quero confessar que estou constrangido por passar todo este tempo calado, sem comentar qualquer denúncia contra a Prefeitura de Imperatriz (sinto vergonha de dar este tipo de notícia ao meu público). Andei fazendo até mesmo agradecimentos à Prefeitura através da imprensa e em público no show de lançamento, pensando que com isto sensibilizaria o prefeito. Também por não querer escândalo envolvendo meu nome e do Neném, preferi achar que estava havendo algum equívoco ou falta de comunicação dos secretários com a Prefeitura, mas depois de ter levado pessoalmente em sua residência convites para o prefeito e sua família irem ao show de lançamento e não terem comparecido, percebi que sabia o que estavam fazendo!!
“Preocupada comigo, a família do Neném me propôs pagar o empréstimo com os recursos arrecadado das vendas dos CD/DVDs do projeto. Claro que não aceitei!! Seria injustiça à família do Neném pagar por uma dívida contraída e pertencente à Prefeitura de Imperatriz. Para maiores esclarecimentos, todo o tratamento do Neném Bragança realizado em Brasília e São Paulo foi 100% custeado pelo Sistema Mirante. A Prefeitura mandou deixar um envelope com mil reais na residência da família. Outra coisa que me chamou a atenção e me deixou atônito foi o prefeito Madeira não ter feito nenhuma visita ao artista no momento em que mais precisou dos amigos , quando estava doente, porém, foi um dos primeiros a chegar ao velório com flores e uma faixa da Prefeitura para ser colocada sobre o caixão do artista, e se fez presente a manhã inteira recebendo cumprimentos das pessoas.
“Mesmo com todas as decepções e endividamento, me sinto orgulhoso, satisfeito e feliz por ter conseguido realizar um projeto que documenta a tão importante trajetória artística e cultural de um dos mais talentosos intérpretes da música popular brasileira, Neném Bragança!!
[Chiquinho França]”

2 Comments